Brasil tem sua primeira associação de proprietários de veículos elétricos

O mercado de veículos elétricos na Europa e nos Estados Unidos vem crescendo em ritmo frenético ano após ano. No Brasil, entretanto, o total de veículos elétricos e plug-in híbridos circulando pelas ruas está restrito a poucas centenas. E foi justamente esse fato que motivou a criação da ABRAVEi – Associação Brasileira dos Veículos Elétricos Inovadores.
Fruto do relacionamento entre proprietários de veículos elétricos, surgido espontaneamente por meio das redes sociais, a ABRAVEi tem como seus principais objetivos ajudar a promover a mobilidade sustentável, atuar na sensibilização de órgãos públicos e iniciativa privada para desenvolvimento e ampliação da infraestrutura de recarga (rápida e semi-rápida) e defender os interesses dos seus associados, já que representam, ainda, uma parcela ínfima do mercado automotivo.
A inauguração da ABRAVEi aconteceu num encontro entre seus associados promovido em Teresópolis durante o final de semana prolongado do feriado de 1º de maio.

E contou com a ida em comboio de paulistas num deslocamento de quase 500 quilômetros realizado exclusivamente com seus veículos elétricos. Esse comboio se reuniu às 9h da manhã do dia 29 de abril, sábado, no posto Graal no km 67 da rodovia Anhanguera, que possui um ponto de recarga rápida, que faz parte do Programa de Mobilidade Elétrica da CPFL Energia – Emotive, antes de seguir viagem. Esse eletroposto é único equipamento com os 3 padrões de plug existentes em apenas um equipamento, possibilitando o carregamento de veículos elétricos de diferentes montadoras.
Na ocasião, houve um café-da-manhã/brunch oferecido pela administração do posto. A fabricante chinesa de veículos elétricos BYD, a CPFL, a Volvo e a Porto Seguro se encontrou com esse comboio no posto Graal, para apoiar o surgimento da nova associação e levarão veículos de suas frotas, fazendo deste evento o maior do Brasil com veículos elétricos e híbridos plug-in.

A ABRAVEi aceita como associados os proprietários de veículos de qualquer marca que tenham capacidade de rodar em modo exclusivamente elétrico. Esse é o caso, por exemplo, dos híbridos do tipo plug-in, que podem ter suas baterias recarregadas externamente e rodar apenas em modo elétrico. Ou, ainda, dos modelos de propulsão elétrica que contam com um pequeno motor a combustão para carregamento das baterias caso elas atinjam uma carga muito baixa. Mas, estão de fora do escopo da associação os veículos híbridos tradicionais, pois ambos os motores – a combustão e elétrico – atuam em conjunto praticamente o tempo inteiro, sem receberem carga externa para suas baterias e sem dependerem de postos de carregamento de energia elétrica .